Dr. Carlos Augusto Bedin

  • Em SAÚDE
  • 23/6/2021 11:11:00

DR. CARLOS BEDIN


Médico tricologista fala de tratamentos e tecnologias avançadas

SEM LEGENDA

Um dos nomes que ganham destaque no interior paulista quando o assunto está ligado à Tricologia, área médica que lida com tratamentos capilares, Dr. Carlos Augusto Bedin inaugurou, recentemente, seu mais novo espaço de atendimento médico, no Georgina Business Park – “Dr. Carlos Bedin – Medicina Capilar”. O profissional recebeu Ala Vip para uma entrevista, em que falou sobre tratamentos e tecnologias ligadas a sua área de atuação. “2021 foi um ano, mundialmente, repleto de desafios e, ao mesmo tempo, com muitos aprendizados. Nesse momento, aproveitei para aprimorar, ainda mais, a estrutura de atendimento aos pacientes”, comenta o médico, que também explica que, na atualidade, existe mais interatividade entre a sociedade e seu campo de atuação. “Isso se deve ao fato de haver mais tratamentos e tecnologias, bem como, o perfil da sociedade, que também se molda, sucessivamente, em busca de mais qualidade de vida e bem-estar. As alopecias, de modo considerável, interferem na autoestima das pessoas. Antes, as pessoas começavam a perder os fios e achavam mais aceitável a ideia de se tornar careca. Mas, para muitas pessoas, a calvície sempre representou um problema difícil de lidar, tanto para homens quanto para as mulheres. Felizmente, para a maioria dos casos, a ciência e a medicina se unem, cada vez mais, para oferecer tratamentos com resultados muito bem-sucedidos”. O profissional esclarece que existem diversas causas que podem levar à queda de cabelos. “No entanto”, explica, “as mais comuns, para os homens é quando o hormônio masculino, testosterona, torna-se di-hidrotestosterona (DHT), que reduz a produção dos fios, além de deixá-los mais finos e frágeis. Nas mulheres, em parcela também ampla, estão as alterações hormonais, que ocorrem, principalmente, na menopausa, que faz com que haja a redução dos fios”.

“A calvície sempre representou um problemadifícil 

de lidar, tanto para homens quanto para as mulheres”

Dr. Carlos afirma que o primeiro é realizar a anamnese, ou seja, conhecer o paciente por meio do diálogo, entender sobre seu estilo de vida, como e quando deu-se início e qual o grau de seu problema ligado à alopecia. “O segundo passo é realizar exames e análises dos fios e do couro cabeludo. Não existe um tratamento específico para todas as pessoas, mesmo porque, cada indivíduo tem seus diagnósticos particulares. Muitas vezes, a queda de cabelo pode também estar relacionada às condições de saúde geral do paciente, como a ausência de vitaminas, entre outros fatores, o que compete a outras formas de tratamentos. No que compete às técnicas de tratamentos que envolvem minha área, essas são determinadas, de acordo com terapias que dependem da densidade capilar. O tratamento pode ser por terapia medicamentosa aplicada ao couro cabeludo - quando ainda existem os folículos capilares. São administradas injeções com princípios ativos sob o couro cabeludo. Há também a técnica de microagulhamento que, além da liberação de medicamentos no couro cabeludo – com ação de aumentar o fluxo de sangue, nutrir, hidratar e prevenir a queda - também estimula o processo celular da área. No caso de ausência total de folículos em áreas já comprometidas, a opção é o transplante capilar. Este consiste em implantar fios capilares do próprio paciente em parte da cabeça, em que já não há mais a chance de estimular a função de nascimento e crescimento capilar. Utilizo a técnica FUE, motorizada e minimamente invasiva”.


SEM LEGENDA

Dr. Carlos Augusto Bedin – Médico Tricologista – CRM 154.750











Aqui: SAÚDE - 31