Hospital da Criança e Maternidade aumenta em 87% a capacidade de atendimento a crianças


Hospital da Criança e Maternidade (HCM) aumenta em 87% a capacidade de atendimento a crianças

SEM LEGENDA

O Hospital da Criança e Maternidade (HCM), de São José do Rio Preto (SP), inaugurou 14 novos e modernos leitos de UTI (unidade de tratamento intensivo) pediátrica, o que amplia das atuais 16 para 30 unidades destinadas ao atendimento de crianças entre 29 dias de vida e 14 anos. O acréscimo das 14 unidades representa aumento de 87% em leitos de UTI pediátrica.

SEM LEGENDA

Dos 14 leitos, 10 compõem a nova UTI da emergência pediátrica, situada no térreo, e os outros quatro integram a ampliação da UTI pediátrica, no quarto andar. Esta unidade já havia recebido 6 novos leitos no ano passado, totalizando agora 10. Considerando as UTIs cardiológica, pediátrica e neonatal, o HCM possui agora 69 leitos, consolidando-se como um dos maiores hospitais pediátricos e maternos do Estado de São Paulo.

SEM LEGENDA

 “Investimos no que há de mais moderno em infraestrutura e equipamentos e contratamos mais de 70 profissionais para poder ampliar ainda mais o nosso atendimento para os 102 municípios de nossa região. É mais uma demonstração de que nosso complexo hospitalar se consolida cada vez mais como um dos maiores do Brasil, inclusive nas áreas neonatal e pediátrica”, afirmou Dr. Jorge Fares, diretor executivo da Funfarme, mantenedora do HCM.

Chamam a atenção em cada UTI a infraestrutura moderna e a decoração com imagens atraentes para as crianças, tornando o ambiente mais acolhedor e humanizado. As camas são elétricas, sendo que cada leito possui a sua volta respirador, monitor cardíaco, bomba de infusão e notebook. “Estruturamos equipes multiprofissionais especializadas com profissionais altamente capacitados para os quais fizemos questão de disponibilizar os melhores equipamentos e estrutura para oferecerem o melhor tratamento aos nossos pacientes”, declarou o diretor administrativo do HCM, Dr. Antônio Soares Souza.

SEM LEGENDA

Cada uma das novas unidades possui o mais moderno aparelho de eletrocardiograma do mercado, que permite que o resultado do exame seja transmitido da beira do leito para os computadores via conexão sem fio. Outro equipamento de última geração é o ultrassom portátil, que permite aos médicos levá-lo até qualquer leito para realizar exames, como o ecocardiograma funcional, ou em procedimentos, como a passagem de cateter central, por exemplo.

A abertura dos novos leitos de UTIs resultou também na geração de empregos. Foram contratados 74 profissionais, entre médicos, fisioterapeutas, enfermagem e higiene e limpeza. Somente para a enfermagem, foram 58, aumento de 20% no total de profissionais especializados em tratamento intensivo.

As diretorias da Funfarme e do HCM já planejavam ampliar o número de UTIs, hoje contando com pediátrica, cardiológica e neonatal. O plano foi antecipado quando, no final de outubro do ano passado, o hospital enfrentou problemas de superlotação de UTIs, tendo que instalar leitos em esquema de contingência. “Com o fim da fase aguda da pandemia e retorno às aulas e ao convívio social, houve um surto de doenças respiratórias e recebemos um enorme número de crianças, lembra Dr. Antônio Soares.